Fernanda Ezabella

Hollywood e outras viagens

 

CASA NOVA - Blog muda de endereço!

Olá pessoal, a partir de hoje o "Hollywood e Outras Viagens" ganha novo endereço.

A casa nova fica em: http://fernandaezabella.blogfolha.uol.com.br/

Os posts antigos continuarão por aqui, neste mesmo canal - http://fernandaezabella.folha.blog.uol.com.br/

Em breve, é só digital ezabella.com para cair no endereço novo.

Para acompanhar o blog, siga a página no Facebook

 

Escrito por Fernanda Ezabella às 20h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Roller Derby - jogão no sábado em L.A.

 
 

Roller Derby - jogão no sábado em L.A.

Sábado tem jogão de roller derby em Los Angeles:

L.A. Ri-Ettes, o dream team da liga Los Angeles Derby Dolls, contra o Team Bionic, dream team da liga Missile Mountain Roller Derby (de Colorado Springs).

Os ingressos custam entre 18 e 40 dólares e podem ser adquiridos no site oficial. As portas abrem às 18h, e o jogo começa às 20h (2am no Brasil).

Para quem está longe, dá para ver online de graça no Derby News Network

Abaixo é a vinheta sensacional para a abertura da temporada dos jogos. 

Dia 21/01 foi o primeiro jogo do ano, Ri-Ettes contra Wildfires (dream team de San Diego).

Abaixo um vídeo com o recap da noite. O time de LA ganhou de 140 a 115.

Escrito por Fernanda Ezabella às 17h45

Comentários () | Enviar por e-mail | Viagens | PermalinkPermalink #

Entrevista - Diretor de "O Artista"

 
 

Entrevista - Diretor de "O Artista"

Mês passado fui me encontrar com Michel Hazanavicius no bar do hotel Four Seasons.

Ele e a mulher, a atriz Bérénice Bejo, estão hospedados por lá desde o começo da temporada de prêmios em Hollywood, entre novembro e dezembro.

Ficam períodos de dez dias no hotel e depois voltam para Paris para ver os filhos. 

Além de gato, ele é muito simpático. A assessora de imprensa disse que Bérénice não estava se sentindo bem, por isso não participou da entrevista, ficou no quarto.

A seguir, meu texto que saiu na Ilustrada no domingo, numa página em preto e branco em homenagem ao filme. Também está disponível na Folha.com:

A limusine para na frente do casal, na porta do hotel cinco estrelas, em Los Angeles. "Só podem ser estrelas de cinema", diz, tentando adivinhar, um hóspede.

Talvez se não falasse tão alto e não estivesse tão colorida num vestido azul brilhante, seria mais fácil reconhecer Bérénice Bejo, atriz do filme mais improvável e comentado da temporada, mudo e preto e branco.

Ela está ao lado de Michel Hazanavicius, seu marido, que escreveu e dirigiu "O Artista". No longa, o astro do cinema mudo George Valentin (Jean Dujardin) se nega a entrar para os filmes falados, na Hollywood dos anos 20. O ator conta com a ajuda da dançarina Peppy Miller, interpretada por Bejo.

"Fizemos apesar de tudo, apesar do senso comum. Há algo de tocante nisso", diz Hazanavicius, no bar do mesmo hotel, algumas semanas depois. Aos 44, ele é diretor de duas sátiras de espionagem protagonizadas por Dujardin, uma delas rodada no Rio. Leia a entrevista:

Escrito por Fernanda Ezabella às 17h42

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Sem samba! Brown não deve tocar no Oscar

 

Aos fãs de Carlinhos Brown, uma notícia triste. 

Ele não deve se apresentar na cerimônia do Oscar, que acontece no próximo dia 26.

Hoje, no almoço dos indicados ao prêmio, os produtores deram alguns detalhes da festa e avisaram que não haverá performance das canções indicadas.

A notícia é do site Deadline Hollywood.

Brown e Sergio Mendes foram indicados ao lado da letrista Siedah Garrett ao Oscar de melhor canção pela música "Real in Rio", da animação "Rio".

Competem apenas com "Man or Muppet”, do filme “Os Muppets”, música e letra do neozelandês Bret McKenzie (da dupla Flight of the Conchords).

No ano passado, um dos principais destaques da noite foi Florence Welch, que substitui Dido e cantou "If I Rise", tema do filme "127 Horas".

Segundo o repórter Pete Hammond, os estúdios Fox ("Rio") e Disney ("Muppets") protestaram contra a decisão, mas de nada adiantou. Há, no entanto, sempre a possibilidade de mudanças de última hora.

Vale lembrar que Brown e companhia bateram canções de Madonna, Lady Gaga e Elton John. 

Abaixo, um vídeo que achei no Youtube com o trio tocando "Real in Rio". Realmente, acho que seria muito samba para o Oscar...

E na sequência o clipe do filme "Os Muppets". 

Foto: AP - Carlinhos Brown, Anne Hathaway e Sergio Mendes, no lançamento do filme no Rio de Janeiro. A atriz dubla uma das personagens principais.

Para acompanhar o blog, siga a página no Facebook

Escrito por Fernanda Ezabella às 06h40

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Onde está o Wally? Quer dizer, o Brad Pitt?

Hoje, ainda segunda-feira em Los Angeles, aconteceu o grande almoço dos indicados ao Oscar.

Mais de 150 artistas participaram do evento, no hotel Beverly Hilton. Estavam lá dezoito dos 20 atores e atrizes que disputam categorias de atuação.

Conseguem achar o Brad Pitt na foto acima? E a Glenn Close? Ao lado de Jean Dujardin e George Clooney?

Localizei o Steven Spielberg também e acho que a Michelle Williams.

A foto aqui no blog fica péssima por causa do formato, mas no site Deadline.com dá para ver a foto oficial com close, só clicar em cima. Vai lá!

Escrito por Fernanda Ezabella às 06h05

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Agendão - Oscar, Lana del Rey e cogumelos

Antes das atividades do Oscar, amanhã, terça (7), a cantora-sensação Lana del Rey aparece na megaloja de música Amoeba.

Show começa às 19h30, portas abrem às 18h, entrada gratuita.

EVENTOS DO OSCAR

Dia 22 tem painel com os indicados a melhor documentário (curta e longa) na sede da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Ingressos começaram a ser vendidos na sexta e costumam evaporar rapidinho. Custa US$ 5 cada.

Dia 23 tem painel com indicados ao Oscar de animação e, no dia 25, com os indicados ao Oscar de filme estrangeiro. Dia 26 é a cerimônia.

COGUMELOS

Dia 12 tem um festival de cogumelos. E dia 11 tem uma caça (??) a cogumelos para o festival.

Mais informações no site da Los Angeles Mycological Society.

 

Escrito por Fernanda Ezabella às 17h39

Comentários () | Enviar por e-mail | Viagens | PermalinkPermalink #

Super Bowl - Duas brasileiras e a cueca de Beckham


Sempre achei que esse negócio de Super Bowl tivesse a ver com a indústria do entretenimento. Algo a ver com cinema ou música ou competição de comerciais...

Foi quando comecei a trabalhar para uma agência de notícias, e lá se vão dez anos, que entendi o lance: é a final de futebol americano, maior audiência da TV nos EUA e, portanto, todo mundo quer tirar uma lasquinha.

Em 2011, foi o programa mais visto da TV americana na história, com 111 milhões de espectadores (informa o wikipedia).

São os espaços mais caros de anúncio da TV. Por isso, as agências de publicidade deixam para estrear suas novidades durante o jogo. E, no intervalo de dez minutos, tem sempre um show de música.

Foi num destes momentos que Janet Jackson e Justin Timberlake tiveram a ideia genial de fazer uma coreografia na qual Justin simplesmente arrancava uma parte da roupa de Janet e ela ficava com um seio à mostra. Coisa fina...

Ontem, domingo, rolou mais um Super Bowl. Cidade vazia, delícia. Madonna cantou no intervalo e aparentemente manteve a compostura.

Li no Twitter que o marido da Gisele Bundchen perdeu. A piadinha infame, repetida sem fim, era a seguinte -- Tom Brady perdeu, mas ao menos leva Gisele pra casa. 

Outra brasileira deu as caras e até falou no Super Bowl: a top Adriana Lima, num comercial sexy da Teleflora, para quem quiser comprar flores no "Valentine's Day", o dia dos namorados local (14/02).

Para quem quiser ver os mais de 50 comerciais, o site Mashable criou uma galeria ótima com vídeos. Vai lá.

Vou colocar aqui meus favoritos, já que a maioria é propaganda de carros sem graça (americano tem um humor muito esquisito para comerciais, é preciso dizer).

Meu favorito é com David Beckham. Não vou dizer nada, só postar o vídeo.

E meu segundo favorito é com Jerry Seinfeld. Finalmente o cara volta a fazer piadas, na TV. Pena que seja para vender carros...

E os três abaixos são trailers de cinema, dos filmes mais aguardados do ano (ou pelo menos mais aguardados pelos americanos).

Para acompanhar o blog, siga a página no Facebook

Escrito por Fernanda Ezabella às 07h11

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Lula em L.A. - filme chega aos EUA

Foi com surpresa que dei de cara com o painel deste cinema da foto acima. Queria ver o filme da Meryl Streep, sobre Margaret Thatcher, e dei de cara com um "Lula".

"Lula - O Filho do Basil", lançado em 2009, estreou nos EUA neste mês. E as críticas não são nada boas...

No site Rotten Tomatoes, que reúne todas as críticas disponíveis, apenas 36% do público gostou, e apenas 14% dos top críticos aprovaram.

"É um elogio descarado que reduz a complexidade em nome da veneração", escreveu Sheri Linden, do "Los Angeles Times".

"Feito com US$ 5 milhões, 'Lula' é considerado o filme mais caro já feito no Brasil. É uma vergonha que o dinheiro não tenha sido gasto de forma melhor", escreveu V.A. Musetto, do "New York Post".

"Esqueça 'Filho do Brasil'. Este xaropinho [syrupy] sobre a biografia do presidente amado e reformista do país, deveria ser chamado Mama's Boy [algo como 'o queridinho da mamãe']", escreveu Melissa Anderson, do "Village Voice".

O "New York Times" foi mais ameno: "Um drama convencional, embora um tanto superficial, mas com uma diferença [...] 'Lula' surge corpulento numa onda de energia e tenacidade, transmitindo uma sensação visceral sobre os pobres e a vida da classe trabalhadora brasileira", escreveu Stephen Holden.

Para acompanhar o blog, siga a página no Facebook

Escrito por Fernanda Ezabella às 18h12

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Wagner Moura e seu primeiro filme na gringolândia


Foto: Luciano Moura e Wagner Moura, na neve de Park City, uns dias antes da estreia de "A Cadeira do Pai", no festival Sundance.

É o quarto filme protagonizado por Wagner nos últimos dois anos. Ele faz um médico que precisa ir atrás do filho adolescente que foge de casa.  

Saiu na Ilustrada uma matéria sobre: Brasileiro veterano estreia primeiro longa em Sundance (para assinantes Folha/Uol)

Esta é a segunda vez de Wagner no festival. Em 2011, ele foi  com “Tropa de Elite 2”.

A passagem rendeu contatos e ele foi chamado para seu primeiro filme na gringolândia: a ficção científica “Elysium”, do sul-africano Neill Blomkamp (“Distrito 9”).

Segundo ele, as filmagens em Vancouver e na Cidade do México já terminaram. O Imdb.com informa que a estreia será só em 2013. 

“É diferente [gravar no exterior], tem o desafio da língua porque não é a sua, você não tem uma relação afetiva com aquelas palavras”, disse Wagner, na entrevista à Folha.

“Então você tem que preencher aquelas palavras com uma humanidade que elas não têm. É um trabalho meio grande. Mas foi uma experiência ótima.”

Wagner diz que não pode dizer absolutamente nada sobre o filme. Eu paro então de perguntar. E voltamos a falar de "A Cadeira do Pai".

Ele conta sobre o desafio de interpretar um pai. Ele próprio tem três filhos, incluindo um de cinco e outro ainda na barriga da mãe.

“Em ‘Caminho das Nuvens’, eu fazia pai de seis, cinco filhos e, naquela época, não tinha filho nenhum”, disse Wagner.

“E quando assisto hoje, eu gosto do filme e tal, mas eu não sabia como era aquilo, era um exercício de imaginação. E neste filme novo,  ter filhos foi uma coisa forte que me ligou muito com o Luciano. Mas também era um exercício de imaginação, eu não quero nem saber sobre o que é meu filho sumir...”

"A Cadeira do Pai" deve estrear no Brasil no próximo semestre.

Escrito por Fernanda Ezabella às 06h59

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Últimas cenas de Sundance


 

 

 

Já deixei Sundance e estou aqui no quentinho de Los Angeles. Parece que o inverno realmente nos esqueceu na Califórnia, e isto me deixa muito feliz.

Passei maus bocados em Park City com o frio. Nunca vi tanta neve na vida. Neve na minha cara, nariz congelado, água no pé. Rendeu um belo resfriado...

Imaginem como é cobrir o festival de cinema no Rio ou São Paulo: aquele corre-corre de uma sala para a outra, sem tempo para comer, filas sem noção, entrevistas que atrasam e etc.

Agora acrescentem nesta equação uma nevasca. Chão escorregadio, vento cortante, óculos embaçados e a repórter de tênis de corrida (!).

Os cinemas do festival em Park City são todos conectados por ônibus gratuitos. É verdade que nunca precisei esperar mais de dez minutos por um destes ônibus.

Quando neva forte, leva mais de uma hora entre as duas salas mais distantes, caminho percorrido normalmente em 20-30 minutos.

Lembro que no dia mais pesado de neve, desci num ponto com umas cinco pessoas. Todo mundo parecia meio perdido, não dava para ver nada na frente, só o branco, branco, branco.

Fomos seguindo uma mulher que gritava algo parecido com "follow me" com sotaque francês. 

Eu fui pisando nas pegadas dela, porque ela estava de botas de neve e eu com meus tênis de corrida. Foi uma interminável caminhada...

Ao chegar ao cinema, fui direto para o banheiro para meu momento "Procura-se Susan Desesperadamente". Ar quente para secar as mãos virou meu secador de pés.

Deu para ver o filme, documentário sobre Ai Weiwei (bom pra caramba), mas com aquela sensação "pneumonia aqui vou eu". Sorte que perto da sala tinha uma loja de esportes.

Entrei, testei umas botas e levei a mais barata, 120 dólares. Agora percebo que comprei um número errado, maior, mas nunca mais pretendo usá-las.

Para fazer de Park City ainda mais um filme de terror, a cidade não tem estrutura para tanta gente. Para pedir um táxi em dia de neve, a espera é de duas horas.

Então imagine o desespero, depois de um dia gelado destes, ter que esperar duas horas por um táxi após o filme que acabou meia-noite?

E um filme chato pra dedéu, "Lay the Favorite", com uma insuportavelmente irritante Rebecca Hall (que eu adoro no filme do Woody Allen).

Mas também, como achar graça num filme depois de um dia de pesadelo?

Dois vídeos caseiros sobre o visual da cidade, em dia de sol:

 

Escrito por Fernanda Ezabella às 21h37

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Dustin Hoffman, Rooney Mara e Alexander Payne

Algumas entrevistas recentes que fiz para a Ilustrada:

 

"Luck", série nova da HBO

"Vocês querem cheirar minhas bolas?". A pergunta vem com uma risada do ator Dustin Hoffman, que segura um drinque na mão direita e estende a esquerda para o pequeno grupo de jornalistas sentados num quarto de hotel em Los Angeles.

Ele quer mostrar a nova invenção de sua mulher, uma pulseira de bolinhas com fragrância.

"Estava no Globo de Ouro e minha coisa favorita era testar a confiança dos homens. Perguntei isso para Mark Wahlberg e tudo bem. Depois para Harvey Weinstein e ele me mandou para aquele lugar", disse Hoffman, dando um golinho no coquetel vermelho. "Não é 'bloody mary', não. É 'virgem mary'."

Hoffman veio falar sobre corrida de cavalos, tema do novo seriado da HBO, "Luck" (sorte). A série com nove episódios foi criada por David Milch ("Deadwood"), um dos produtores-executivos ao lado de Michael Mann ("Inimigos Públicos"), diretor também do piloto. Continua...

 

"Os Homens que Não Amavam as Mulheres"

É de perder a conta a quantidade de penteados que a atriz Rooney Mara desfila nas cenas de "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres", em que vive o papel de uma hacker antissocial com talento para caçar criminosos, voando de moto pelas ruas geladas de Estocolmo.

O trabalho intenso para entrar na pele da personagem Lisbeth Salander, além das pesquisas de cabelo e tatuagens, acabou rendendo a Mara sua primeira indicação ao Oscar neste ano.

Vai competir com as veteranas Glenn Close ("Albert Nobbs"), Viola Davis ("Histórias Cruzadas"), Michelle Williams ("Sete Dias com Marilyn") e Meryl Streep ("A Dama de Ferro").

O filme, dirigido pelo americano David Fincher ("A Rede Social") e indicado ao Oscar em outras quatro categorias técnicas, é baseado no best-seller do autor sueco Stieg Larsson (1954-2004), cuja trilogia "Millennium" já foi levada aos cinemas por diretores europeus em 2009.

"Fui a um centro de vítimas de estupro, conversei com algumas mulheres e li muito sobre isso. Também visitei uma escola que ensina crianças com autismo", disse Mara, 26, numa conversa com jornalistas em Cancún, no México, acrescentando que teve aulas de computação, kickboxing e motocicleta para encarnar a personagem. Continua...

"Os Descendentes"

 

Oito anos depois do sucesso de "Sideways - Entre Umas e Outras" (2004), o diretor Alexander Payne volta à carga com outro drama sobre um homem ansioso que decide pegar a estrada para uma jornada de reavaliação pessoal.

Desta vez, no lugar das vinícolas californianas, seu protagonista transita pelas praias do Havaí. E, no lugar do amigo baladeiro, ele tem a companhia das duas filhas.

"Os Descendentes" foi indicado a cinco categorias do Oscar, incluindo melhor filme, direção e ator (George Clooney). O protagonista já recebeu um Globo de Ouro, e o longa também ficou com o troféu de melhor drama.

Clooney vive o patriarca que tenta manter a família unida quando sua mulher sofre um acidente de barco e entra em coma. Ele descobre que ela tinha um segredo e parte em busca de compreensão, com a ajuda da primogênita (Shailene Woodley, da série "A Vida Secreta de uma Adolescente Americana").

A recorrência de filmes de estrada e personagens masculinos confusos ("As Confissões de Schmidt", de 2002, também se encaixa nesse perfil) no currículo de Payne não é proposital, diz o diretor. "Em retrospecto, percebo que acontece de forma intuitiva", afirma ele, vencedor do Oscar de roteiro por "Sideways". "Gosto de capturar angústia dos meus protagonistas", completa.

Continua...

 

 

 

 

Escrito por Fernanda Ezabella às 20h03

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

"Curb Your Enthusiasm" - melhor seriado de 2011

 
 

"Curb Your Enthusiasm" - melhor seriado de 2011

"Curb Your Enthusiasm", melhor seriado de comédia de 2011, segundo o Directors Guild Awards of America.

Ganharam com este episódio da "galinha palestina". Uma das melhores coisas que vi na TV no ano passado.

Escrito por Fernanda Ezabella às 03h41

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Enquanto isso, numa loja de Park City

 
 

Enquanto isso, numa loja de Park City

Escrito por Fernanda Ezabella às 02h11

Comentários () | Enviar por e-mail | Viagens | PermalinkPermalink #

Paralisado, artista volta a desenhar com "Eyewriter"

 
 

Paralisado, artista volta a desenhar com "Eyewriter"

Foi com a ajuda de um estranho que o artista americano Tony Quan voltou a desenhar pela primeira vez em sete anos, desde que se viu paralisado numa cama de hospital. O feito aconteceu com a criação de um aparelho chamado "Eyewriter" (olho escritor), eleito pela revista "Time" como uma das 50 invenções de 2010.

Os altos e baixos do processo para fazê-lo funcionar, além da jornada pessoal de Quan, estão no documentário "Getting Up", selecionado para o festival Slamdance, que acontece paralelamente ao Sundance, em Park City, no Estado americano de Utah.

Grafiteiro pioneiro da cena de Los Angeles desde os anos 80, Quan é conhecido como TemptOne e era também editor de uma revista e ativista social. Até que em 2003 foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença neurodegenerativa sem cura, e, em pouco tempo, estava sem poder se mexer, falar ou respirar, apenas com o movimento dos olhos.

Continua...

Escrito por Fernanda Ezabella às 18h52

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Marina Abramović e Ai Weiwei em Sundance

 
 

Marina Abramović e Ai Weiwei em Sundance

Na Ilustrada de hoje, falo sobre dois dos filmes que mais gostei de ver no festival Sundance, um documentário sobre a artista Marina Abramović e outro sobre Ai Weiwei.

Sundance olha para artistas provocativos (para assinantes Folha/Uol)

Abaixo, os trailers dos filmes.

 

Trailer - Marina Abramovic The Artist is Present from Show of Force on Vimeo.

Escrito por Fernanda Ezabella às 18h02

Comentários () | Enviar por e-mail | Cinema e TV | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Silvio E. G. Cioffi Fernanda Ezabella é correspondente da Folha em Los Angeles e escreve sobre a vida em Hollywood, as novidades do Vale do Silício e as aventuras do roller derby.
Twitter Facebook RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.